Microrredes De Energia

Microrrede constitui-se de um sistema integrado que consiste em recursos de energia distribuídos e várias cargas elétricas operando como uma rede única e autônoma, seja em paralelo ou “ilhada” da rede de distribuição de energia existente.

O controle da microrrede deve ser realizado de forma coordenada a partir de sistemas de controle distribuídos que permitam o sensoriamento e a atuação dinâmica nos dispositivos inteligentes (IEDs – Intelligent Electronic Devices) que a compõem.

O funcionamento da microrrede, além das operações propiciadas pelas fontes de geração distribuída, sistemas de armazenamento de energia e controle de cargas, pressupõe a existência de uma infraestrutura de comunicação abrangente sobre a qual as transações entre as diversas aplicações e equipamentos são realizadas.

Um outro elemento importante da microrrede é o sistema SCADA (Supervisory Control and Data Acquisition), que possibilita ao operador uma visão completa sobre seu estado atual de operação e a possibilidade de intervenções, de forma manual ou automática, nos elementos que a compõem.

REDS - GERENCIAMENTO DE RECURSOS ENERGÉTICOS DISTRIBUÍDOS

  Trata-se de solução para a integração dos recursos distribuídos, dispersos na rede de energia, ao Centro de Operação, suportado por uma plataforma computacional (DERMS) integrada aos sistemas de supervisão e controle operacionais existentes.

Em um cenário de elevada dispersão de Recursos Energéticos Distribuídos – REDs conectados à rede de distribuição de média e baixa tensão, os sistemas de supervisão e controle convencionais não se apresentam adequados e nem capacitados para o gerenciamento desses recursos, sendo necessárias ferramentas específicas para gerenciá-los e controlá-los. Nesse contexto, o Sistema de Gerenciamento de Recursos Energéticos Distribuídos ou DERMS (do inglês, Distributed Energy Resource Management Systems) se apresenta como ferramenta capaz de organizar, controlar e gerenciar o funcionamento de milhares de REDs conectados à rede de distribuição, buscando ganhos econômicos, maior confiabilidade na operação e garantia dos parâmetros de qualidade da rede elétrica.

A utilização do DERMS permite agregar REDs dispersos conectados à rede para otimizar a sua operação através de monitoramento e controle dos dispositivos envolvidos, bem como coordenar o despacho de energia elétrica a partir de fatores econômicos, técnicos e estratégicos. Do ponto de vista técnico, o DERMS pode atuar na coordenação dos REDs para mitigar a violação de limites da rede e assegurar níveis maiores da capacidade de hospedagem desses recursos (Hosting Capacity).

ARMAZENAMENTO DISTRIBUÍDO DE ENERGIA PARA REDE DE MÉDIA TENSÃO

Trata-se de solução de Armazenamento distribuído de energia para rede de média tensão para Suprimento de Energia em situação de Contingência; Serviços Ancilares; Nivelamento de Pico de Demanda – “Peak Shaving”, “Load Leveling” e Operação de Arbitragem

Os sistemas de armazenamento de energia por bateria, conhecidos mundialmente como BESS - Battery Electric Energy Storage Systems, estão cada vez mais presentes nas redes de distribuição de energia elétrica, sendo tratados, em muitos países, como elemento ativo nas redes de distribuição. A utilização de BESSs acarreta em melhora na eficiência operacional, posterga ou elimina a necessidade de altos gastos com investimentos nas redes, possibilita uma matriz com mais recursos renováveis intermitentes, tais como geração fotovoltaica e eólica, e ainda permite o ganho com diversos serviços ancilares, tais como regulação de tensão, regulação de frequência, etc.

Do ponto de vista operacional, as distribuidoras podem operar os sistemas de armazenamento de forma centralizada ou fazer uso da capacidade autônoma desses equipamentos na interação com a rede de energia.

Consequentemente, o impacto operacional do BESS nas redes de distribuição muitas vezes reflete os princípios de funcionamento das próprias distribuidoras associados ao ambiente regulatório, que pode ser muito diferente do impacto operacional do mesmo BESS em outro sistema de distribuição.

O sistema de controle é um dos fatores mais importantes na implementação bem-sucedida de um BESS, necessitando uma discussão aprofundada das arquiteturas de controle, monitoramento e infraestrutura de comunicação para suportar as funções operacionais e interface com a rede.